Menu fechado


Processos de (re)construção de significados em Aulas de Campo Ubíquas para o desenvolvimento da alfabetização científica

Descrição:  Este trabalho traz parte dos resultados de uma pesquisa de mestrado que teve como objetivo promover a alfabetização científica nos anos iniciais do Ensino Fundamental, em aulas de campo realizadas em espaços não formais de aprendizagem, com o apoio de tecnologia ubíqua. Como questão norteadora, investigou-se quais são as influências das Aulas de Campo Ubíquas nos processos infantis de construção de conceitos científicos para resolução de problemas cotidianos. Teve o caráter de pesquisa qualitativa de cunho descritivo, estruturada em um estudo de caso, com observação sistemática e participante da esquisadora. Seu método envolveu a aplicação de uma Aula de Campo Ubíqua (UFC) em um espaço não formal de aprendizagem situado no Rio de Janeiro. Verificou-se que a mesma possibilitou a sensibilização infantil para problemas socioambientais de diferentes biomas da Mata Atlântica, situados no entorno da comunidade escolar, favorecendo o engajamento dos participantes na busca por soluções concretas para questões de preservação do meio ambiente a partir de contatos ignificativos com conceitos científicos. A Aula de Campo Ubíqua, portanto, contribuiu para a formação de sujeitos capazes de realizar leituras críticas da realidade e de intervir socialmente em uma perspectiva emancipadora, com vistas ao alcance de melhorias na qualidade de vida da sociedade.

Título da dissertação: Processos de (Re)Construção de Significados em Aulas de Campo Ubíquas para o Desenvolvimento da Alfabetização Científica

Aluno: Monalisa Lais Oliveira da Silva
Orientadores: Ana Paula Legey e André Cotelli

EnglishPortuguês